quinta-feira, 27 de junho de 2019

Roteiro: CONTINUAÇÃO DO CARTOON 2


Continuação do cartoon 2

 (continuação do cartoon)
Kim se aproxima de Kon usando apenas uma calcinha preta com rendas e enfeites. Chega até bem próximo dele.
Kim – Faça de conta que eu sou uma mulher.
Kom – (amedrontado, sem saber o que fazer com as mãos) Mas, o que é isso, Kim... Por que você está de calcinha?
Kim – Você não acha que eu fico bem assim?
Kom – Fica, mas não está certo, você é homem...
Kim – Quando eu visto uma calcinha eu me sinto mulher.
Kim aproxima seus lábios dos de Kom. Kim beija Kom na boca. Ele resiste no começo, mas acaba cedendo. Beijam-se.
Kim – (afastando os lábios da boca de Kom) Você está com o pau duro, Kom.
Kom – Você também, Kim.
Kim – (sensualmente) Não ligue para o meu pau, ele não vai ser usado para nada. Eu quero ser mulher para você. Pode fazer o que quiser comigo.
Kom – (embaraçado) Eu não sei bem o que...
Kim – (depois de uma pequena pausa) Escuta, você quer que eu chupe seu pau?
Kom – (sem jeito) Bom, se você quiser...
Kim – (sensual) Claro que eu quero!
Kim fica de joelhos diante do Kom, desabotoa o cinto dele, abre o ziper da calça e finalmente abaixa a cueca para libertar o pênis dele já duro. Kim coloca o pênis de Kom inteiramente na sua boca e começa a chupar, movimentando a cabeça num para frente e para trás. De vez em quando, sem parar de chupar, Kim olha para cima, para o rosto de Kom. Outras vezes ela tira o pênis da boca e o lambe como um picolé, para depois voltar a chupá-lo.
Kom – (sentindo prazer) Você chupa bem, Kim...
Kim – (tirando o pênis um de Kom da boca) Você ainda não viu nada, Kom!
Kom sorri e Kim volta a chupá-lo com vontade. Ficam assim por algum tempo.
Kom – (retirando seu pênis da boca de Kim) Para. Senão eu vou gozar. Quero comer você.
Kim – (levantando-se) Está bem. Vamos para a cama.
Kim caminha a diante de Kom, rebolando o máximo que pode. Quando chega diante da cama ele para tira a calcinha delicadamente e se deita de bruços, colocando uma almofada embaixo do quadril para deixar sua bunda ainda mais empinada.
Kim – (apontando) Tem lubrificante em cima do criado-mudo. Passa no pau e me dá um pouco para eu passar na minha bunda.
Kom e Kim se lubrificam.
Kom – (aproximando-se de Kim) Posso. Estou louco de tesão.
Kim – Pode. Mas põe devagar, senão não doi muito...
Kom – (deitando-se sobre Kim) Pode deixar, eu tomo cuidado. Você tem uma bunda linda, Kim.
Kim – (sorrindo) Obrigada!
Kom aproxima o pênis do cu de Kim.
Kim – (olhando para trás) Um pouco mais para baixo, Kom. É, aí... Põe... (gemendo) Ai...
Kom – Está doendo? Quer que eu tire?
Kim – Não... Não tira. Dá para aguentar... Pode deixar ele ficar onde está.
Ficam assim por alguns instantes, os dois se movimentando suavemente. Depois de um tempo, Kim pede.
Kim – Põe mais, Kom (Kom penetra mais um pouco em Kim, depois faz uma pausa). Mais um pouco (Kom a penetra mais. Kim em êxtase exclama) Põe tudo! Põe tudo!
Kom depois de penetrar Kim inteiramente começa a se movimentar indo e vindo dentro dela. Kim também se movimenta embaixo de Kom. O ritmo vai aumentando aos poucos. Os dois gemem, dizem coisas.
Kom – Como sua bunda é gostosa, Kim.
Kim – Seu pau também é uma delícia, Kom!
Eles se movimentam ainda mais rápido, com gemidos e palavras ininteligíveis.
Kom – (ofegante) Eu vou te comer bem, Kim!
Kim – (agitada) Come, come mesmo a sua putinha!
A câmera passeia pelos corpos dos dois em movimento.
CLOSES do rosto de Kom e de Kim, intercalados com TOMADAS GERAIS.
A ação se prolonga por algum tempo.

CORTE.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Conto:A PRIMEIRA CALCINHA A GENTE NÃO ESQUECE, de Lucia Millet







A PRIMEIRA CALCINHA A GENTE NUNCA ESQUECE

Lucia Millet


Para ler este conto e outros doze basta comprar o livro A Cdzinha Grávida e Outras Histórias, de Lucia Millet, com 232 páginas e versões revisadas e refinadas dos originais escritos entre 2006 e 2019.

O livro custa apenas R$ 36,17 + o frete.

Para comprar acesse os links abaixo: 












quinta-feira, 6 de junho de 2019

Roteiro - CONTINUAÇÃO DO CARTOON 1


Continuação do cartoon 1


Peter – (debatendo-se enquanto Deise segura suas duas mãos por trás. Ele ainda tem os pulsos atados por uma fita plástica) Por favor, me larguem.
Jéssica – (de joelhos diante de Peter, olhando vidrada o pênis dele fazendo volume na calcinha) Adoro ver um pau dentro da calcinha!
Deise – (segurando firme Peter pelas costas) Vai lá, Jéssica. Ele é todo seu.
Jéssica (aproximando-se mais o rosto do pênis de Peter) Então, Peter. Você fica excitado quando se veste de mulher?
Peter (tentando ficar mais calmo) Fico! Mas eu só visto lingerie, mais nada...Só para ficar excitado...
Jéssica(pegando brutamente no queixo de Peter) E quando você fica excitado, você pensa em comer uma mulher ou em ser comido por um homem?
Peter – Isso não é da conta de vocês! (se debatendo) Por que vocês estão fazendo isso comigo?
Jéssica(brutalmente) Responda a minha pergunta.
Peter – Eu não sou gay. Eu só me masturbo, não transo com ninguém...
Jéssica – Ai, mas que desperdício! (a Deise) Não é, Deise.
Deise – Nós pegamos você, Peter. Pegamos você de calcinha e sutiã, cinta-liga e meias. Agora você é nossa prisioneira, cdzinha. A gente vai fazer o que quiser com você (ri).
Jéssica – Se você não fizer o que a gente mandar, todo mundo vai ficar sabendo que você se veste de mulher.
Peter(quase chorando) Por favor, me soltem.
Deise(malignamente) Hoje nós vamos ter uma noite a três, eu, Jéssica e você, Peter. Relaxa, você vai gostar (a Jéssica) Não é, Jéssica?
Jéssica – Olha, Deise, o pau dele está querendo sair da calcinha de tão duro. Vamos libertá-lo (ela abaixa a calcinha de Peter o suficiente para que seu pênis ereto dele saia para fora) Ah, que pau bonito! Não é muito grande, mas é bonito.
Deise (olhando sobre o ombro de Peter) É, bonitinho!
Jéssica ri, em seguida pega no pênis de Peter, coloca na boca e começa a chupar.
Deise(falando perto do ouvido de Peter) Está gostando, Peter.
Peter(sentindo prazer) Estou!
Deise – Isso é só o começo...
Deise vem para frente de Peter e começa a beijá-lo. Essa ação dura um certo tempo. Peter sendo chupado por Jéssica e beijado por Deise ao mesmo tempo.
Peter – Por que vocês não me soltam? Eu não vou fugir, prometo.
Deise – É melhor continuar amarrada, cdzinha. Nós vamos fazer mais coisas com você! (a Jéssica) Não é, Jéssica?
Jéssica(interrompendo a felação) Muito mais coisas. (a Deise) Vamos levar ele para a cama, Deise.
Jéssica se levanta e junto com Deise, levam Peter para a cama. Ele já não se debate nem tenta fugir.
Peter – Seria mais fácil se vocês me soltassem.
Deise(dando uma chicotada em Peter) Quieta, menina!
Jéssica – Ele é menino ou é menina?
Deise(maliciosamente) É isso que nós vamos descobrir em breve.
As duas riem, depois jogam brutalmente Peter de costas na cama. Ele se ajeita o melhor que pode com as mãos amarradas nas costas.
 Jéssica(tira o collant e fica nua, depois se aproxima de Peter e mostra sua vagina) Você gosta disso, Peter?
Peter – Gosto.
Deise(a Peter) Você gosta disso ou queria ter uma dessas?  Hein, Peter?
Jéssica – Você queria ser mulher, Peter?
Peter – Não, eu só gosto de vestir lingerie. Só isso, não sou gay...
As duas riem.
Jéssica(subindo na cama de quatro) Ele está com o pau bem duro, Deise.
Deise – Vamos ver se ele funciona...
Jéssica se senta sobre Peter e introduz o pênis dele na vagina. Depois começa a cavalgar sobre Peter.
Deise(aproximando-se) Está gostando, Peter?
Peter(dabatendo-se) Ai, minhas mãos nas costas! Estão doendo.
Jéssica – Ah, que menino chorão! Vamos mudar de posição, é até melhor.
Deise (rindo) Muito melhor.
 Jéssica sai de cima de Peter e se deita de barriga para cima. Depois com a ajuda de Deise faz Peter rolar sobre ela. Jéssica abraça Peter com as pernas. Retomam o coito.
Jéssica – Está melhor assim.
Peter – Está.
Jéssica – Então vamos lá, Peter. Me fode, me fode com vontade. Eu sempre tive um tesão por você...
Peter(indo e vindo sobre Jéssica) Com as mãos amarradas para trás fica difícil!
Jéssica(brava) Quieta. Para de reclamar!
Ficam se movimentando com num coito sexual por algum tempo, entre gemidos. Nesse meio tempo, Deise pega um pênis de plástico de tamanho médio, com correias e fivelas e o prende ao seu quadril. Ela se aproxima de onde estão Peter e Jéssica.
Deise(com ar de reprovação) Hum... Mais que transa mais desanimada!
Peter(olhando na direção de Deise) Eu estou com as mãos amarradas, fica difícil. (depois vendo o pênis preso à cintura de Deise) O que é isso, Deise?
Deise – Então, cdzinha, você não achava que podia se vestir de mulher e não ia receber nada em troca?  Prepare-se para perder sua virgindade!
Peter – Parem. Vocês estão indo longe de mais. (ele se debate, mas com as mãos amarradas nas costas e com Jéssica prendendo-o firmemente com as pernas e os braços, não pode fazer muita coisa) Por favor, parem, com isso!
Jéssica e Deise riem.
Deise(aproximando-se enquanto balança o pênis) Não vai me dizer que você nunca enfiou nada no cu, Peter?
Peter(assustado) Não. Nada. (depois confessa) Só o dedo...
Jéssica – Ah, dedo não conta! (ri) Então hoje a menina vai deixar de ser virgem?!
Deise(entrando também na cama e aproximando o pênis da bunda de Peter) Vai doer um pouco no começo, Peter, mas depois você vai gostar. Aposto!
Peter(debatendo-se) Não! Eu não quero! Por favor! Pare!
Deise(introduzindo o pênis no anus de Peter) Relaxa, amor. Assim dói menos...
Peter(gemendo) Aiiiiiiiii... (arquejando) Põe devagar. Está doendo! Devagar!
Deise – Ah, deixa de ser chorão!
Deise termina de introduzir o pênis em Peter, que geme agora geme menos.
Deise – Está bom assim, Peter?
Peter(arquejando) Está.
Jéssica (em tom de protesto) Peter, e eu? Você estava me comendo, lembra? Só levar um pau no cu e você esquece tudo!
Peter – Não!
Peter volta a movimentar os quadris indo e vindo dentro de Jéssica, enquanto Deise também se movimenta indo e vindo dentro dele. A ação se prolonga por um tempo, e os três parecem cada vez mais excitados. O ritmo da transa vai aumentando, aumentando. Os três gemem, dizem coisas.
CORTE.